Hoje eu me deparei com uma pergunta curiosa: o que eu amo fazer? O que vem de dentro de mim que me dá prazer e satisfação? O que mais faço? Okay, na realidade não é apenas uma pergunta, mas senti como se tudo isso estivesse interligado e fosse uma pergunta só. E a resposta foi bem clara: ler e escrever.

Na vida, assumimos diversos papéis, e na vida profissional não seria diferente. 

Vocês sabem, eu faço mestrado. Também escrevo para blogs e sites. Gosto de mexer com redes sociais, criar posts. Sem falar que meu sonho da juventude era publicar um livro, e o que isso tudo tem em comum? A escrita.

Curioso, mas só agora caiu essa ficha e precisava colocar isso em palavras. Eu AMO escrever. Só que não é uma tarefa simples ou fácil, ela é complexa. Exige estudo, dedicação, treino. Ela pode ser dolorosa, em certos momentos. E sinto que estou no meio de formas diferentes da escrita.

A escrita criativa esteve comigo durante toda a adolescência. Nas fanfics e histórias que eu postava online, nos rpgs, nas ideias. Me cercando, me incentivando.

A escrita para a web surgiu nos últimos anos. A produção de conteúdo na internet é diferente. Ela é dinâmica, informativa, atrativa. Comecei a levar mais a sério durante a faculdade, e amava entrar no Blogger para mesclar imagens e gifs nos meus textos, na produção e revisão de legendas para redes sociais.

Mas no ano passado, e principalmente nesse ano, uma outra escrita se fez necessária na minha vida: a escrita científica. Ela é cheia de nuances, de camadas. Te deixa inseguro, com um certo receio, intimidadora. Me deparei diversas vezes com o word, a tela em branco implorando por palavras das quais eu não conseguia dar forma. 

O problema é a insegurança, a incerteza, a autocrítica. E eu sempre disse a mim mesma, "o importante é começar, depois a gente ajusta na revisão". Me deu até um calorzinho no peito. Não precisa ser um sofrimento ou uma tortura psíquica. Vamos brincar com as palavras. Vamos tirar da mente e começar a rascunhar. 

Nada nunca vai ficar perfeito de primeira, são tentativas e intensos processos. E só tenho a agradecer por estar cercada de pessoas e profissionais que estão dispostos a me ajudar, a me acolher

0 Comentários