Resenha: Metido de Terno e Gravata - Vi Keeland e Penelope Ward

Título: Metido de Terno e Gravata
Série: Cocky Bastard #2
Autor: Vi Keeland e Penelope Ward 
Gênero: Literatura erótica, romance
Páginas: 334
Editora: Essência
Ano de lançamento: 2018

Sinopse: Romance das autoras de Cretino abusado, best-seller do The New York Times Tudo começou como uma manhã qualquer no trem, até eu ficar completamente hipnotizada pelo cara sentado do outro lado do corredor. Ele gritava com alguém em seu telefone como se fosse o dono do mundo. Quem o engomadinho metido pensava que era? Deus? Na verdade, ele parecia um deus. Quando sua estação chegou, ele se levantou bruscamente e saiu, deixando cair o telefone no caminho. Talvez eu o tenha achado. Talvez eu tenha passado por todas as suas fotos e ligado para alguns dos números. Talvez eu tenha ficado com o telefone do homem misterioso por dias – até finalmente criar coragem para devolvê-lo. Quando cheguei a seu escritório chique, ele se recusou a me ver. Então, deixei o telefone na mesa vazia do lado de fora da sala do arrogante idiota. Eu talvez tenha deixado salva uma foto íntima. Eu não esperava que ele respondesse. E não esperava que nossas trocas de mensagens fossem quentes como o inferno. Eu não esperava me apaixonar por ele – muito menos antes de nos conhecermos de verdade. Nós dois não poderíamos ser mais diferentes, mas você sabe o que dizem sobre os opostos. Todas as coisas boas acabam um dia, certo? Mas nosso final era impossível de prever...


Ok, vou admitir: julguei esse livro pela capa e pelo título. Pela sinopse também, o que faz com que eu me envergonhe triplamente. Não me leve a mal, é só que já li tantos livros sobre o cara rico e poderoso, que administra uma empresa e é super arrogante que às vezes eu só quero dar um tempo dessas leituras. Quando você passa a ler tantas histórias parecidas começa a parecer a mesma coisa.  Não foi o que aconteceu aqui.

Soraya Venedetta é uma mulher decidida. Ela reconhece que não gosta muito do seu trabalho, que consiste em ajudar uma escritora a responder cartas de leitores para aconselhamento sobre os relacionamentos deles. Mas o dinheiro paga as contas então tudo bem, vale a pena aguentar sua chefe idiota pelo salário. Certo dia, indo para o trabalho de trem, ela notou um homem muito bonito no celular. Apesar da beleza, ele parecia estar estressado com algo e a fez pensar se ele não era um desses arrogantes de merda. Quando ele desceu do trem, acabou deixando o celular e Soraya acabou pegando. O típico clichê.

Ela não se considera uma intrometida, mas quando se deu por si estava olhando as fotos dele atentamente. Fotos com uma senhora idosa, um cachorrinho super fofo. Decidiu então ligar para um dos contatos da lista dele para saber onde devolver o aparelho e a mulher na linha foi bem direta: "pega o celular desse maldito e joga no rio". Decidiu pesquisar sobre ele no google e descobriu que o cara era dono do próprio negócio e não trabalhava muito longe. Então era só ir lá e devolver.

Iphone, Smartphone, Apps, Apple Inc

Graham Morgan não tem muita paciência. Ele sabe que é um merda com seus funcionários e não é a toa que todas as suas secretárias pedem demissão. Em mais um dia de trabalho, uma mulher chamada Soraya liga pedindo para ser atendida, pois segunda ela precisava dar uma coisa a ele. Graham foi extremamente grosseiro como sempre e ameaçou chamar os seguranças. Imagine sua surpresa quando a recepcionista lhe devolve seu celular e ele descobre que a Soraya mandou uma foto com o famoso dedo indicando um "vai tomar no cú". Mas o que chamou realmente a atenção foram os belos peitos dela.

A partir daí, eles começam a trocar mensagens. Ele volta a andar de trem e os dois dividem o mesmo vagão. Graham a reconhece por causa de uma tatuagem que saiu em uma das fotos, e fica impressionado com o quanto ela é linda e única. Seus cabelos são pretos e muito longos com mechas coloridas nas pontas. As mensagens começam a ficar quentes e Graham sente que precisa tê-la.

A história se desdobra com Graham querendo levá-la para a cama e com Soraya recuando. Me diverti muito com essa troca de mensagem e com as ligações que eles faziam um ao outro ao longo dos dias. Eles começam a sair juntos e quanto menos esperam, as coisas estão mais sérias do que deviam. Graham pede exclusividade e parece estar mudando. Está mais alegre e até seus funcionários percebem isso. Quando finalmente os dois fazem sexo, os dois sentem que são perfeitos um para o outro.

É aí que o livro sai um pouco do clichê e a ex-noiva de Graham reaparece. A surpresa? Ele descobre que é pai. Um exame de DNA é feito e Soraya começa a ficar receosa. O resultado? Positivo. Na maioria dos livros que eu leio desse gênero, quando uma ex reaparece falando que está grávida ou dizendo que tem filho ou a notícia é falsa ou essa ex é a protagonista. E aqui senti que fugiu do habitual, me fazendo pensar em como seria lidar com essa situação no lugar dos personagens.

Valentim, Dia Dos Namorados, Rosa

Chloe, a filha de Graham é linda. Deve ter entre 4/5 anos e é super fofa e gentil, além de bem brincalhona. Sua mãe é que é uma praga e quer reconquistar o ex a todo custo - mesmo tendo traído ele com o melhor amigo e omitido a existência da filha. E toda vez que eles saem juntos a Soraya sente que está de escanteio.

Confesso que achei as reações da Soraya muito exageradas, porque apesar do Graham ter descobrido que era pai, em hipótese alguma mudou sua forma de agir com ela, pelo contrário. Fazia questão de incluí-la nos assuntos, de levá-la para conhecer a filha e saírem juntos. Tentou incluir a namorada em tudo o que dava, a Soraya é que foi criando as paranoias sozinhas.

Mas ao mesmo tempo eu sei que é justificado, afinal de contas o pai da Soraya casou com outra, uma mulher chamada Theresa e depois disso simplesmente sumiu. E se ela fosse a Theresa da vida da Chloe e estivesse impedindo a garota de ter os dois pais?

Graham nesse sentido foi o cara. Ele se apaixonou pela Soraya e aceitava ela do jeito que era: doidinha, avoada, que faz mechas no cabelo e muda a cor conforme o humor em que se encontra. E ele mesmo assume em vários momentos que sem ela, ele não conseguiria ser um pai tão bom para a Chloe.

Para quem quer uma história apaixonante, divertida com uma protagonista um tanto insegura mas única, essa história é recomendada. Ela faz parta da série Cocky Bastard mas você não precisa ler em ordem cronológica, que aliás foi o que fiz. Boa leitura!


Um comentário :

  1. Oi Thai, gosto de livros assim de vez em quando, é bom para fugir da rotina, ou sair daquela ressaca né!
    Gostaria de ler, mesmo com essa mudança em Soraya com o aparecimento da filha dele.. E eu gostei muito da capa tb!

    Beijos Mila

    Daily of Books Mila

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Encontrou algum erro ortográfico? Não deixe de comentar! Sua opinião é muito importante pra nós.
Não tem conta no google? Não tem problema.
Escolha a opção nome/url e coloque seu nome.
Volte sempre.

My Instagram

Copyright © Um Remédio Chamado Ler. Made with by OddThemes & Artworkdesign