Crítica de filme - A Grande Aposta

Para aqueles que não sabem, me formo em Administração de Empresas no final de 2019. Por que essa informação é relevante? Para quase nada, tirando o fato de que sim, finalmente irei me formar, ter um diploma de ensino superior. O que, nessa crise, parece que não significa quase nada, mas é alguma coisa.

A questão é que a anos eu ouço os professores indicarem o filme A Grande Aposta como se ele fosse um doce maravilhoso que você precisa provar urgentemente. E pensei comigo mesma dias atrás, "estou à toa mesmo, vamos lá". E caramba, que filme! Sempre ouvi falar da Crise de 2008, que graças ao setor imobiliário a economia global entrou em colapso. Só que nunca entendi isso direito. São muitas palavras técnicas, e quando comecei o filme os próprios personagens até brincam com isso: a maioria das pessoas fingem que sabem o que aconteceu para não parecerem idiotas, mas na realidade elas não sabem muito bem.

Resultado de imagem para a grande aposta

Inspirado em fatos reais, A Grande Aposta aparece como um documentário sobre algumas pessoas que, contra todo mundo, decidiram apostar em algo impossível. Michael Burry, um dos nossos protagonistas interpretado por Christian Bale, descobriu uma enorme bolha no setor imobiliário e previu que muita merda iria acontecer. Ele previu que a bolha estouraria, porém a crise demorou anos para chegar, o que fez com que ele estivesse sob enorme pressão e muitos tentassem fazer com que ele mudasse de ideia.

Durante todo o filme, nos deparamos com várias frases sobre o mercado dos negócios e investimentos, e teve uma que achei maravilhosa:

"Uns choram, outros vendem lenços"
Isso basicamente resume as coisas, foi emocionante acompanhar essa história. Vários termos técnicos são explicados e apesar de não entender exatamente tudo o que era apresentado, deu para se ter uma bela noção do que estava acontecendo. Alguns atores, como Selena Gomes e Margot Robbie apareceram em certos momentos para dar um toque a mais. Havia músicas, lições de moral e muito idiota ganhando dinheiro em cima de pessoas ingênuas.

Bale até deu uma entrevista, divulgada no site O Globo sobre como foi se preparar para viver esse personagem e contou que passou 8 horas conversando pessoalmente com o verdadeiro Michael Burry. Ao ser perguntado sobre se havia mocinhos no filme, ele foi realista:

- Esse é um dos aspectos mais interessantes do filme. A intenção é provocar o público. Aqueles homens apenas fizeram seu trabalho da melhor maneira possível, ganharam muito dinheiro para seus clientes e para eles mesmos. Você pode se perguntar por que eles não fizeram um gesto significativo em relação aos reais perdedores com a explosão da bolha, os milhares sem emprego, a multidão de destituídos do sonho da casa própria. Mas a questão é por que o cidadão comum pagou o pato enquanto os bancos eram amparados pelos governos.

O que aprendemos com o filme A Grande Aposta

E essa realmente é a verdade, enquanto milhares perdiam seus empregos, nossos homens espertinhos estavam nadando no dinheiro. Estavam lucrando com a desgraça, mas não é como se tivessem feito algo ilegal. Burry inclusive chegou a alertar o governo dos EUA sobre isso, e foi amplamente ignorado. Os protagonistas fizeram pesquisas, averiguaram todo o contexto para chegar ao fundo do resultado catastrófico que acabaram prevendo e avisaram até para algumas pessoas comuns sobre isso. Passaram anos sendo chamados de idiotas, lunáticos, etc e etc.

No final, o filme diz que centenas de banqueiros foram presos e investigados, que houve punições, as leias ficaram mais rígidas. Aí do nada um narrador dá risada e diz que um homem foi preso, os grandes bancos fizeram pressão para que as leis os favorecessem e voltaram a cometer a mesma merda de antes com um novo nome, mesmo esquema. Ha. Bem-vindos ao mundo real.

Às vezes, a realidade é tão absurda que o melhor meio de retratá-la seja através do deboche. 

Se tem algo que esse filme retratada bem é: não tenha apenas uma fonte de confiança. Busque sempre várias opiniões de especialistas. Mas não se prenda somente a eles, pois em vários momentos, quando tudo está ruim, eles podem aparecer sorrindo dizendo "ei, está tudo bem, você é um idiota se não acredita". Só que não está bem, está horrível. Não saia dando tiro no escuro só para ir contra o mundo, vá fundo nas suas pesquisas. Se depois de muito estudo, análises e provas você realmente se certificar de que está certo, mesmo que o mundo interno não acredite, aí sim você deve ir com tudo. E se estiver errado, ok, volte alguns passos para trás. Recomece.

Um comentário :

  1. Eu nunca vi esse filme. Coloquei ele na minha lista do Netflix há algum tempo atrás (inclusive, nem sei se ainda está disponível na plataforma) por causa do elenco, nem ao menos sabia da sinopse do mesmo. Fiquei mais interessada agora em assistir, porque juntou o elenco maravilhoso com esse enredo. Gosto de filmes que não separam perfeitamente o bem do mau. Sempre me prendem da melhor forma.

    Abraço,
    Parágrafo Cult

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Encontrou algum erro ortográfico? Não deixe de comentar! Sua opinião é muito importante pra nós.
Não tem conta no google? Não tem problema.
Escolha a opção nome/url e coloque seu nome.
Volte sempre.

My Instagram

Copyright © Um Remédio Chamado Ler. Made with by OddThemes & Artworkdesign