Resenha: Let You Go - Jaxson Kidman

Título: Let You Go
Série: True Hearts #4
Autor: Jaxson Kidman 
Gênero: romance contemporâneo, new adult
Páginas: 420
Editora: Amazon
Ano de lançamento: 2018



Sinopse: Depois do nosso primeiro beijo, ele se afastou.
Depois da nossa primeira vez juntos, ele confessou que não era a primeira vez.
Depois de me comprar minha primeira bebida, ele disse que estava com outra pessoa ... mas ainda me amava.
Agora estou olhando para duas linhas cor-de-rosa em um teste de gravidez ... e o número que ele me deu para ligar?
Está desconectado. Ótimo. 

Quando algumas leitoras foram falar sobre esse livro em um grupo no face,grande parte dos comentários era sobre o quanto esse personagem era babaca. Nem precisa ir muito longe para perceber, a própria sinopse em questão de poucas frases nos mostra que ele é um cretino. Eu detesto livros assim, apesar de ter lido vários livros onde "o protagonista é um sem noção mas acaba se redimindo no final" (vulgo Traição da Maya Banks por exemplo). Então eu pensei:

-Ok, vamos lá, o máximo que vai acontecer é eu perder tempo".

E aí conhecemos a Rose, uma mulher que trabalha no setor de marketing de uma cafeteria cuja dona é Molly, uma grande amiga. Então ela reencontra Foster e os dois começam a conversar, mas o leitor percebe logo de cara que eles já estiveram juntos antes. E a história vai seguindo esse curso de mostrar os dois se reaproximando de novo apesar das burradas que ele cometeu no passado. Muitas merdas foi com grande colaboração do pai dele, um ser um estúpido, idiota e desprezível. Dá para jogar toda a culpa nele? Não, porque o Foster consegue ser um canalha por si só.

Os capítulos são intercalados entre os dois, então conseguimos ter uma boa visão do que cada um pensava e sentia. Só que aí no meio da história atual começa uma outra história sobre eles no passado. A primeira vez que se viram, quando dormiram juntos, a forma como eles vão se apaixonando e o Foster sendo um idiotazinho, fazendo uma besteira atrás da outra. Ele ama a música e nem se importa se quando está cantando num palco ninguém está dando a mínima, o importante é cantar e ser livre. Ou seja, a gente vê que ele tem consciência dos seus atos, sabe a consequência deles e toma a decisão errada porque quer. E toda vez que a relação deles começa a se estabilizar ele foge.

Resultado de imagem para gif nojo

E não pense que é só no passado que ele foi um idiota não, o desgraçado consegue cometer os mesmos erros de novo no presente e a tonta da Rose cai mais uma vez na lábia dele. Eu não gosto desse tipo de história, acho muita enrolação e lenga lenga. Mas sei que tem pessoas que curtem, então é uma obra interessante nesse sentido. Mostra a superação de várias coisas entre eles, essa coisa de conhecer a pessoa certa na hora errada também.

Eu penso que o fato de mostrar as duas linhas do tempo poderia ser um diferencial, mas senti que faltou certa organização porque teve partes em que eu nem sabia mais em que período a história estava se passando e o que acontecia, se aquele fato era algo do passado ou estava rolando no presente.

O pior é que eu achei que o Foster era só mais um bad boy em busca da liberdade, sem sentimentos e não se importando com nada. Mas ele ama a Rose e considera ela a única mulher que vale a pena, não é a toa que sempre que vai embora acaba voltando. Mas aí eu também fiquei pensando, se eles se amam e sabem disso, por que raios o Foster faz isso? E a Rose parece uma sonsa esperando por ele. Desculpem, eu precisava dizer isso. Teve partes que eu estava tão de saco cheio que só queria abandonar a leitura.

Imagem relacionada

Quando ela descobre que estava grávida ele foi embora de novo. Rose tem que achar o novo número de celular do bonito porque o infeliz desativou a linha pra não ter mais contato com ninguém e recomeçar em outro lugar. Ela descobre um novo número e fica ligando, mandando mensagens mas nunca fala da gravidez. Para todos da cidade ela fala que o Foster vai voltar, que está só trabalhando fora para juntar dinheiro para o bebê. Santa paciência, que iludida. Rose chorava várias noites, sentia que se chamasse e contasse a verdade ele voltaria. Mas não queria estragar os sonhos dele então deixaria o Foster livre porque sabia que um dia ele voltaria. O cara sai quantas vezes quer, some e desaparece, mas tudo é perdoado porque no fundo ele a ama e sempre vai voltar?

É um romance legal, mas passa longe de ser um dos meus favoritos. Os personagens secundários, apesar de não aparecerem tanto contribuem com a história e para quem se identifica com protagonistas calmas e pacientes a Rose é para vocês. De pessoas como o Foster eu só quero distância. Pode ama-la, fazer músicas sobre ela e tudo mais, mas nada justifica ir embora várias vezes sem nem se despedir.

Apesar de fazer parte da série True Hearts não li nenhum outro livro da autora e isso não impactou a leitura, então podem ler tranquilos. Isso é, se você aguentar os personagens.

Postar um comentário

O que achou desse post? Encontrou algum erro ortográfico? Não deixe de comentar! Sua opinião é muito importante pra nós.
Não tem conta no google? Não tem problema.
Escolha a opção nome/url e coloque seu nome.
Volte sempre.

My Instagram

Copyright © Um Remédio Chamado Ler. Made with by OddThemes & Artworkdesign