Um dia de Voluntariado

Olá, caros leitores! No post de hoje, eu gostaria de falar sobre um dia que tocou meu coração: um dia de voluntariado. A empresa Thermo Fisher incentiva os seus funcionários a uma vez por ano, durante o período de trabalho, fazer alguma ação social ou trabalho voluntário. São vários projetos para escolher e inicialmente eu ia assistir filme com crianças com câncer, mas acabei ficando gripada e com a imunidade baixa, acabou não rolando. Uma semana depois, tive a oportunidade de escolher outro projeto: um piquenique com crianças de uma instituição. Não preciso nem dizer que amei, ne?


Foi uma tarde mágica. Brinquei com as crianças e me diverti muito, teve até momentos em que precisei me esconder atrás de uma cortina para respirar e descansar, não tenho mais o pique de antes haha. Infelizmente não consegui nem brincar com o bambolê direito e eu era fera nisso. O que aconteceu, minha gente? É a idade ne. Foram horas brincando e o tempo passou tão rápido que nem senti.

Depois das brincadeiras, descemos para o refeitório onde havia uma mesa lotada de lanches para essas crianças, e todas elas eram tão educadas. Foi gratificante isso, saber que a mera presença de voluntários para estar ali com eles proporcionou momentos de alegria e diversão a todos.

Antes das crianças irem embora, tive o prazer de conversar com alguns deles. Havia uma menina de 12 anos e um garoto de 13, que se sentaram em uma mesa e começaram a fazer dever de casa. Ela gostava de ciências e matemática, ainda não sabia o que queria ser quando crescer mas amava estudar e se orgulhava por ser uma das melhores alunas de sua classe, disse que os professores choviam elogios a ela. Confesso que me identifiquei e bateu aquela nostalgia: até alguns anos atrás eu também estava assim: feliz por fazer minhas tarefas e receber elogios dos professores. Fazia muito tempo que eu não pensava nisso, na infância.

O garoto já sabia o que queria: trabalhar com animais. Ainda não tinha certeza se ia ser veterinário ou biólogo, mas passava seus dias jogando videogames e estudando seres vivos. Ainda faltam 4 anos para ele tentar a faculdade, mas se continuar nesse caminho tenho certeza de que vai conseguir realizar o seu sonho. Saí dali tocada pela determinação dessas crianças.

Uma outra parte do nosso grupo de voluntários estava ajudando a parte de bazar e fomos até lá conhecer. Essa instituição vive de doações e o bazar é grande fonte de renda para eles, recebem as mais diversas mercadorias: roupas, móveis, etc e separam os itens para vender. Eu me surpreendi com o tamanho das doações que eles tem ainda para separar, o que falta ali são pessoas para realmente dar aquela força no trabalho e ajudar na separação e organização.

 

A história do lugar e o trabalho que realizam é fantástico. Famílias carentes vão até lá para comprar roupas, etc. A gente tem o costume de considerar muitas coisas usadas ou ultrapassadas, só que isso pode fazer alguém feliz. Pode ser um sapato que não te cabe mais, uma daquelas televisões grandonas que a gente poderia olhar e dizer: "caramba, isso nem funciona mais, quem iria querer?". Pois é, muita gente iria querer.

Havia também um salão de festas e durante o mês de maio nos sábados eles fizeram a noite da pizza: por R$ 30,00 você come pizza a vontade ao som de um cover de Elvis Presley, além de sorteio de vários brindes e de rifas de bingo.

O local é enorme e pode atender mais gente, porém precisam de mais dinheiro para isso, sem falar de algumas reformas que se fazem necessárias. Doações em dinheiro são bem-vindas assim como doações de roupas, sapatos, móveis que você não vai mais usar. e você mora em São Paulo e tem um fogão, geladeira ou outros itens em bom estado que não vai mais usar, entre em contato com eles que irão até sua casa buscar.

Eu com certeza espero que tenha outros mutirões ao longo do ano para ir lá dar aquela ajuda, trabalho ali é o que não falta. É gratificante saber que você está ajudando outras pessoas e está sendo útil. E você que está lendo isso, mesmo que more longe, procure fazer alguma ação social. Com certeza, no seu bairro mesmo, deve ter algo. Ajudar crianças, animais, idosos, pessoas carentes. Nem sempre é dinheiro, às vezes só o fato de você estar ali, dedicar algumas horinhas do seu tempo já fazem a diferença. 

Contato: NAF: 11 2296-3462 | 11 9 5352-5889

Postar um comentário

O que achou desse post? Encontrou algum erro ortográfico? Não deixe de comentar! Sua opinião é muito importante pra nós.
Não tem conta no google? Não tem problema.
Escolha a opção nome/url e coloque seu nome.
Volte sempre.

My Instagram

Copyright © Um Remédio Chamado Ler. Made with by OddThemes & Artworkdesign