Título: A Garota Americana
Autor (a): Meg Cabot
Editora: Galera Record
Páginas: 352



A Garota Americana acompanha o cotidiano de Samantha Madison, uma tí­pica garota americana que leva uma vida muito parecida com a de tantas outras meninas de sua idade. Até que um dia resolve matar aula e, por acaso, salva o presidente americano de uma tentativa de assassinato.

Samantha logo vê sua vida virar de cabeça para baixo ao ser nomeada embaixadora da ONU, sem ao menos saber exatamente o que o cargo significa.


O livro foi um dos mais fofinhos e perfeitinhos que já li na vida. Samantha nos encanta com suas listinhas, como os dez motivos pra sua vida estar uma merda os cinco motivos pra faltar a uma aula, e assim vai.

Sua irmã mais velha é simplesmente a garota mais bonita e popular do colégio, sua irmão caçula é um gênio de tão inteligente e Samantha acaba sendo a comum, a do meio.

Samantha é apaixonada por um garoto e acredita que ela e ele foram feitos um pro outro, e que o garoto apenas não se tocou nisso. E adivinhe quem é esse garoto? Simplesmente o namorado da irmã mais velha!

Ela foi pega vendendo desenhos de celebridades na aula e como castigo, seus pais a obrigaram a frequentar aulas de artes.  Inconformada com esse castigo, ela resolve matar aula e acaba salvando ninguém menos que o presidente, e é aí que toda a sua vida vira de cabeça pra baixo. O mundo todo acha que ela é uma heroína, todos querem um pedaço dela e o filho do presidente, ao que parece, está apaixonado por ela.

Sabe aqueles livros que você começa a ler e não consegue parar ? Você não quer que o fim chegue de tão bom que ele está? Pois é, a garota americana vai viciar todos vocês.  Meg Cabot, a autora, acertou em cheio no enredo e nos personagens maravilhosos. Não sabe quem é a autora? A criadora de O Diário da Princesa.

A única coisa que me incomodou um pouco foi a obsessão que ela tem pelo namorado da irmã. Tipo assim, GAROTA ABRA OS OLHOS E VEJA O QUE ESTÁ NA SUA FRENTE!!!

Sam é uma garota muito diferente de qualquer outra garota, ela tem modos e gostos bem... peculiares. Em alguns momentos achei ela meio fresquinha, mas não daquele jeito ruim, de um jeito bom. Quem ler o livro vai entender, ela é única por fazer aquilo que gosta sem se importar com o que os outros vão dizer.