Siga @katherslynne

12 de jan de 2018

Resenha: Ensaio sobre a Cegueira - José Saramago.

Editora: Cia das Letras. 312 Páginas
Particularmente, sou apaixonado pela literatura portuguesa. Literatura muito conhecida (aqui no Brasil pelo menos) por causa de Camões e Eça de Queiroz (que apesar de sua relação com as escolas literárias "tupiniquins" e de sua odiosa relação com Machado de Assis, era português).

Li recentemente o maravilhoso e incestuoso livro "Os maias" do Eça, nessa "vibe" portuguesa, resolvi navegar pela literatura de Saramago (1922 - 2010), a qual, sempre mantive uma intensa curiosidade, principalmente por sua escrita peculiar.

A escrita de Saramago, vencedor do prêmio Nobel, causa a priori estranhamento. Primeiramente, os personagens não possuem nomes. Em segundo lugar, a edição brasileira da Companhia das letras está em português de Portugal - a pedido do autor. E por fim, por extrapolar as convenções gramaticais. Saramago brinca com a linguagem, errando propositalmente a pontuação em seu texto. O leitor tem, portanto, a chance de usar a pontuação como bem lhe apetecer.

Convém salientar que esse “estranhamento” cai por terra, já no primeiro capítulo.

O livro narrado em terceira pessoa, que se passa num lugar incerto e numa data incerta, vai nos contar a história da “treva branca” que acometerá os personagens tão complexos na história. O primeiro afetado pela cegueira, estava no trânsito, onde de modo impetuoso percebe que sua vista ficara esbranquiçada. Desesperado com aquela situação, acaba pedindo ajuda para um desconhecido. Ao chegar à casa do primeiro cego (“nome” do personagem), o desconhecido acaba deixando o homem sozinho e furta seu carro.

Sem carro, o primeiro cego, junto com sua esposa (imagina o desespero ao encontrar o marido cego) vão de táxi ao oftalmologista para tratar daquele caso de cegueira. Enquanto o primeiro cego chegara ao hospital com sua esposa, o ladrão do carro também cega.

Ou seja, sim, a cegueira branca era contagiosa.

No consultório médico, além do ‘doutor’ e sua secretária, havia uma criança estrábica, uma rapariga (termo usado no livro) que usava óculos de sol, pois, fazia tratamento para conjuntivite e um velho que usava um tampão (termo também usado no livro).

A noite, ao chegar em casa, o médico começa a investigar sobre aquele estranho caso. Até que o mesmo também cega, junto com o menino estrábico, a rapariga, o velho de tampão no olho, o primeiro cego e sua esposa. E claro, o ladrão de carros.

Entretanto, a mulher no médico, não é atingida por essa cegueira inexplicada.

O governo desesperado com a rapidez com que a doença estava se espalhando, resolve agir, isolando todos os cegos e aqueles que mantiveram contato com estes em um manicômio abandonado. A mulher do médico, apesar de sua ótima visão, resolve ir junto ao marido. Pois assim, poderia ajudá-lo.  Com isso, as pessoas que vão cegando, são jogadas nesse manicômio abandonado.

Cegos guiando cegos. 

O livro é uma crítica ao governo que age de forma sucateada, deixando os cegos abandonados no manicômio e como o homem consegue manipular e se aproveitar do mais fraco. Aos poucos, o manicômio abandonado começa a encher de pessoas cegas e torna-se importante a coabitação de forma pacifica, mesmo estando em um lugar abjeto (há uma cena envolvendo fezes, que é indigesta) e personagens que levam a sério a máxima "Em terra de cegos, quem tem olhos é rei". No caso, rainha.

Saramago aposta numa escrita direta e crua. Não há sentimentalismo e nem lirismo. Além da abordagem crua e assustadora, o autor não se utiliza de alívios cômicos e também, Saramago usa de maniqueísmo. Não existe aquela apelação típica nas jornadas de heróis, no caso, heroína. Onde a heroína é perfeita e que tudo dará certo no fim. Há sempre um contraponto sobre a humanidade e sua relação com a ética.

Como Nelson Rodrigues, Saramago, "chuta" o balde em relação a hipocrisia. O que eu faria na mesma situação? Num lugar repleto de cegos que necessitam de auxílio para praticamente tudo? E se eu tivesse a visão? Se eu fosse privilegiado num local, onde não há privilégios? . (Nota-se uma questão filosófica, numa realidade, onde poucos possuem privilégios ~ é necessário ler até o fim do livro para entender de forma inteiriça a questão dos privilégios).

O ensaio sobre a cegueira, poderia facilmente ser chamado de "Ensaio sobre a humanidade" ou ainda, "Ensaio sobre privilégios", pois mostra de forma intensa, real e assustadora como somos frágeis, e como deixamos ser oprimidos por aqueles que possuem uma força maior, seja o dinheiro, seja munição, ou seja a visão.

Apesar do final do livro ser redondo, o autor, continua as aventuras dos seus personagens no livro "Ensaio sobre a lucidez", que abordará sobre as consequências do ocorrido no ensaio sobre a cegueira.
Cartaz do filme

O livro foi adaptado em 2008 para as telas do cinema, dirigido por Fernando Meireles (Cidade de Deus) e com elenco estrelar, como a premiada Julianne Moore, Mark Ruffalo, a brasileira Alice Braga e Gael Garcia Bernal. Filme excelente, uma das melhores adaptações de livro que já vi para as telonas.

Por fim, Ensaio sobre a cegueira, é um livro essencial. Leitura obrigatória para quem gosta de clássicos modernos, distopia, realismo fantástico (amantes do Gabo), ficção científica e para quem gosta de filmes do tipo, "Uma noite de crime".










27 comentários:

  1. Ainda não conhecia esse livro. Pelo título parece ser um livro bem interessante e sua resenha idica isso. Valeu pela dica .

    ResponderExcluir
  2. Oi, Thainá!

    Muito boa sua resenha, adorei ler. Estou lendo um outro livro do Saramago, no momento, chamado: Caim. Acho que ele não será meu preferido, apesar de ter me adequado à leitura, mesmo que o estilo seja totalmente fora dos padrões. Já iniciei a leitura de Ensaio sobre a cegueira, mas acabei abandonando. Não sei dizer se foi porque não era o tempo, vou dar mais uma chance, depois. Mas, na literatura cada um tem seu gosto e que bom que você curtiu!
    Obrigada pela indicação,
    Grande abraço,
    Drica.

    ResponderExcluir
  3. Oiiie,
    Tudo bom? eu ainda não conhecia esse livro nem a autora kkkkkk, mas fui também avaliar a sinopse dele pq vou mais por ela, e confesso que até gostei nesse ano pretendo fazer uma lista de livros para mim ler até o final do ano esse até me chamou a atenção se você curtiu tanto é pq é bom!

    ResponderExcluir
  4. Resenha incrível, sou louca para ler algo do José Saramago, mas ainda não tive oportunidade! Só escuto boas coisas sobre suas narrativas, me parece uma leitura muito gostosa apesar das dificuldades pela diferença da escrita do autor.

    ResponderExcluir
  5. Esse livro é sensacional, não é? Acho que não consigo dizer muito mais além disso, sem cair na redundância. Lembro que quando li, também tive esse estranhamento inicial, mas no final, já estava encantada pelo livor.
    Sua resenha está ótima.

    Degradê Invisível

    ResponderExcluir
  6. Estou louco para ler esse livro e depois dessa resenha, certamente lerei.
    Muito Obrigado !

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pela resenha você escreve perfeitamente bem!
    Ah, é o tipo de livro que eu não gosto de ler, sinceramente muito complicado, personagens sem nome... Enfim, para mim não flui.
    Apesar de sempre haver uma mensagem a ser passada, não sou muito fã! rs

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro, mas parece muito diferente e interessante!

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?

    Sempre vi muitas pessoas tecendo inúmeros comentários em relação a escrita do Saramago e tenho muita vontade de conhecer. Pelo que você narrou, o livro trabalha muito bem as críticas que eram seus objetivos e o contexto parece muito bem construído. Vou procurar a obra porque já fiquei muito interessada!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Eu não sabia que tinha o livro .Já assistir o filme e gostei bastante ,mas quero ler o livro pra saber mas detalhes da história.

    ResponderExcluir
  11. Oi Marcos!!
    Eu vi o filme feito desse livro e achei mega interessante a trama, por ser diferente e complexa. Ainda não li o livro e nem sei se leria já que conheço a história por causa do filme.
    Parabéns pela resenha! Você escreve muito bem!!
    Bjs
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi!!
    Eu ja ouvi falar do filme, mas não li o livro. Parece ser muito interessante 😀
    Bjo

    ResponderExcluir
  13. nunca ouvi falar desse livro parece ser otimo...
    beijos

    ResponderExcluir
  14. A resenha é boa, o livro é bom, o site seu é super simpático! Nao tem como não amar! Certamente vou voltar outras vezes. Sobre o livro: qm ainda não leu, leia-o! Não vai se arrepender.

    ResponderExcluir
  15. Amei demais a sua resenha. Não li ainda esse livro, mas ele está na lista. :)

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bom?
    Eu li esse livro a anos, foi uma delicia ler sua resenha porque pude relembrar a narrativa, e Eu amei esse livro quando li, não sabia que tinha uma adaptação.
    Beijos, Joyce de Freitas

    ResponderExcluir
  17. Olá, vi o filme e não gostei nadinha kkk mas os livros sempre são melhores!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Eu já conhecia o livro. Como portuguesa fico orgulhosa pelo teu interesse pela literatura portuguesa. Contudo, José Saramago não é um escritor que agrade a qualquer leitor. Boas leituras!
    Bjnhs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Portugal é um país riquíssimo em história e cultura. Obrigado pelo comentário

      Excluir
  19. Esse livro realmente é fantástico e sua resenha está bem clara. O enredo, que nada mais é do que uma crítica através de uma metáfora, nos deixa questionando o papel do poder. Parabéns pelo seu texto. Não vi o filme, mas espero que seja tão bom quanto o livro.

    ResponderExcluir
  20. Eu li esse livro já faz algum tempo, mas lembro que ele marcou bastante. A escrita do Saramago é fascinante. Acho que depois da sua resenha vou pega-lo na estante para ler novamente <3

    Essa série é simplesmente MARAVILHOSA, cada episódio que passava me deixava ainda mais curiosa sobre o próximo, terminei em dois dias, haha.

    www.alimentopraalma.com

    ResponderExcluir
  21. Uaaau, eu amei a premissa do livro, fiquei muito curiosa pra ler! E já que tem uma adaptação cinematográfica, vou procurar pra ver também. Obrigada por essa indicação maravilhosa. Beijos

    ResponderExcluir
  22. Adorei a dica de leitura, e de filme também, vou querer ler com certeza, já me conquistou quando comparou a o filme, uma noite de crime

    ResponderExcluir
  23. Já ouvi muuuito sobre esse livro mas não sabia que tinha filme :O
    Pretendo começar a ler esse autor em breve, tenho muita curiosidade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Eu já assisti o filme, mais não fazia idéia que existia o livro.
    Mais deve ser ótimo como o filme.

    ResponderExcluir
  25. Olá!
    Conheço o livro a muito tempo ,mas nunca li pelos comentários de complexidade da obra.Adoro clássicos que criticam de uma forma totalmente diferente o governo e a humanidade.Ainda espero poder ler essa história e gostar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Já conhecia o livro mas ainda não o li! Já li outros de Saramago mas neste ainda não me aventurei! Fico muito feliz que gostes da nossa literatura :D

    Beijinhos,
    Mii
    Comic Life Blog

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Encontrou algum erro ortográfico? Não deixe de comentar! Sua opinião é muito importante pra nós.
Não tem conta no google? Não tem problema.
Escolha a opção nome/url e coloque seu nome.
Volte sempre.